a
custom font

Circuito Art

Manuel Solano: Heliplaza

A primeira exposição no Brasil do artista mexicano Manuel Solano apresentará uma série de trabalhos recentes inspirados na estética dos shopping centers, criados a partir das lembranças da juventude do artista. A mostra tem curadoria  de João Mourão e Luís Silva, co-diretores da instituição portuguesa Kunsthalle Lissabon (Lisboa).

Manuel Solano, não binário, era artista emergente de 26 anos quando, em 2013, perdeu a visão devido a uma infecção relacionada ao HIV. Não querendo ser prejudicado por sua condição e instigado por seus amigos, Solano voltou a trabalhar. Mas, em vez da arte experimental de seus primeiros anos, começou uma série de retratos expressivos e pinturas de palavras intitulados “Transsexual cego com AIDS”. Minando suas memórias da cultura pop e dos tempos passados enquanto aplicava a tinta com as mãos, Solano criou um impressionante corpo de trabalho. Como Solano se baseia em suas memórias, as estrelas pop e as formidáveis ​​figuras femininas que homenageia são um panteão autobiográfico de suas influências formativas. Enquanto Solano transcende o gênero fixo em sua identidade pessoal, seu trabalho tem a energia elétrica gerada pelo atrito entre estereótipos exagerados de gênero.

Heliplaza é o nome de um shopping no bairro de Manuel em Ciudad Satélite, um subúrbio da Cidade do México, desenvolvido na década de 1950. A exposição gira em torno de noções de arquitetura, decoração e shopping centers, e de como a personalidade pode ser expressa através da decoração. O projeto é um resultado direto de Manuel lidando com as memórias de seu crescimento e com o edifício Copan, onde o Pivô está localizado.

Galeria Pivô

28/08 – 07/11/21

Sobre:

Manuel Solano, 1987, vive e trabalha em Berlim

Manuel Solano nasceu na Cidade do México. Exposições individuais: Seized by the Left Hand, Dundee Contemporary Arts (2020), Portraits, Peres Projects, Berlin (2019), I Don’t Wanna Wait For Our Lives To Be Over, ICA, Miami (2018), Oronda, Open Forum, Berlin (2018), PUNCHIS PUNCHIS PUNCHIS PUM PUM PUNCHIS PUNCHIS PUNCHIS, Museo de Arte Carrillo Gil, Cidade do Mexico (2016), Inherent Vice | Manuel Solano, Galería Karen Huber, Cidade do México (2016). Exposições coletivas: City Prince/sses, Palais de Tokyo, Paris (2019), FR –Visual AIDS, PARTICIPANT INC, New York (2019), Strange Messengers, Peres Projects, Berlin (2018), 2018 Triennial: Songs for Sabotage, New Museum, New York, THEMSELVES, Portland Institute for Contemporary Art, Oregon (2017), Straight From Mexico City, Ruiz-Healy Art, San Antonio (2016), Open Sesame, Lumber Room, Portland, Oregon (2016).

http://www.manuel-solano.com/

João Mourão e Luis Silva

João Mourão e Luis Silva são um duo curatorial que trabalha entre Lisboa e o meio do Atlântico, nos Açores. Mourão é Diretor do Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, enquanto Silva é Diretor da Kunsthalle Lissabon, instituição que ambos fundaram em 2009. Uma seleção de exposições recentes que apresentaram inclui individuais de Ad Minoliti, Zheng Bo, Laure Prouvost, Caroline Mesquita, Engel Leonardo, Sol Calero, Irene Kopelman e Naufus Ramírez-Figueroa, bem como exposições coletivas em instituições como a Extra City, em Antuérpia, a David Roberts Art Foundation, em Londres ou o MACE, em Elvas. Para além da sua prática curatorial João Mourão e Luís Silva são também contributing editors da revista CURA. e co-editores da série de publicações Performing the Institution(al). Foram os curadores da ZONA MACO SUR (2015 – 2017), a secção de solo projects da feira de arte contemporânea da Cidade do México e da secção Disegni (2017 -2019) da Artíssima em Turim.

Escreva um comentário

Registro

já tem uma conta?